O Espelho – Review

Esse filme é de 2013, dirigido por Mike Flanagan. Escrito por ele e Jeff Howard, tem como elenco principal Karen Gillan e Brenton Thwaites. Antes de qualquer coisa, vejamos o trailer:

*SPOILER ALERT, VÁ VER O FILME*

O filme conta a história da família Russel e um espelho sinistro que eles compram. Graças ao espelho ocorre uma serie de assassinatos dos membros da família e a culpa cai no filho mais novo. Depois de sei la quantos anos o menino (que agora já é adulto) sai da instituição em que estava e descobre que a irmã vem tentando provar que tem alguma coisa errada com o espelho. Eles se trancam na antiga casa e começam a reviver a confusão toda.

Pra começar, acho a fotografia bem bacana. Mesmo sabendo que é o padrão para filmes de terror/suspense, acho bonito. O filme explora as diferentes luzes pra cada momento dramático, mas as vezes eu acho a transição pouco sutil e é esquisito.

Existem algumas pequenas grandes falhas de roteiro. A primeira, que já aparece no início, é a caracterização da personalidade de Kailey. Mostrar todo o trabalho que ela teve durante sei lá quantos anos e o dinheiro que ela deve ter gastado e os riscos envolvidos faz ela parecer meio louca. E aí até o irmão começar a ver as coisas talvez ela seja louca mesmo. E mesmo assim, levando em consideração que o Tim estava sob tratamento, talvez OS DOIS sejam loucos. Demora um pouco pra acreditar naquilo tudo.

Outra coisa que me incomoda é eles intercalarem a infância com a idade adulta. Embora tenha sido uma boa maneira de mostrar como foi da ultima vez, eu fiquei com a sensação de que o espelho estava fazendo tudo de novo e por isso estava segura de que Tim e Kailey não morreriam, uma vez que eles não morreram antes. No caso eu tava errada e a Kailey morre, mas é tão no fim do filme que não dá aflição.

As cenas que são propriamente de susto são boas (menos o noivo zumbi), mas não assustaram por quê o estúdio fez a gentileza de colocar TODAS no trailer. TODAS. E aí quando as coisas aconteciam eu já as tinha visto. Delas, acho que a minha preferida é a que Kailey come a lâmpada. No quesito suspense, a que eu mais gostei foi a que eles se assistem mudando as coisas de lugar. Não pela cena em si, mas por que isso implica que eles não podem usar aquelas imagens pra provar nenhuma atividade paranormal. Grande sacada do roteirista, inclusive.

A trilha sonora e a planificação não chamaram minha atenção, tendo ficado no que era esperado para um filme do gênero. Apesar de ter umas 2h (o que é um tempo OK) eu acabei ficando cansada e me distrai no final. 

Recomendo que se assista pela experiência, mas sem muitas expectativas. E você, o que achou? Comente aqui embaixo!

Anúncios

Comente

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s